Português (Brasil)

Mais de 13 mil migrantes haitianos foram deportados em março, segundo OIM

Mais de 13 mil migrantes haitianos foram deportados em março, segundo OIM

Entre os migrantes, três mil receberam ajuda humanitária ao retornarem ao Haiti e 1.200 receberam apoio psicossocial

Compartilhe este conteúdo:

Moradores deixam suas casas enquanto a violência das gangues aumenta em Porto Príncipe, Haiti. Foto: Clarens SIFFROY / AFP - Foto: Clarens Siffroy/ AFP

Por AFP

Mais de 13 mil migrantes haitianos foram deportados em março por países vizinhos, apesar da catastrófica situação humanitária e de segurança que enfrentam, informou a Organização Internacional para as Migrações (OIM) nesta quinta-feira (4).

dado representa 46% a mais do que no mês anterior, informou a agência da ONU em um comunicado.

"Para a maioria dos haitianos, a perspectiva da migração regular continua sendo um obstáculo insuperável, uma vez que a migração irregular é a única esperança", afirmou a organização.

Entre os deportados, três mil receberam ajuda humanitária ao retornarem ao Haiti e 1.200 receberam apoio psicossocial.

Segundo a OIM, a obtenção de um passaporte pode levar "meses ou mais de um ano", o que também representa um elevado número de deslocados internos.

Mais de 360 mil haitianos foram forçados a deixar suas casas devido à violência no país e "muitos [o fizeram] diversas vezes", de acordo com a organização.

O Haiti, que tinha 11,6 milhões de habitantes em 2022, segundo a ONU, já atravessava uma profunda crise política e de segurança quando sofreu uma escalada da violência nas últimas semanas, na qual diversas gangues se uniram para atacar locais estratégicos em Porto Príncipe com a intenção de derrubar o então primeiro-ministro Ariel Henry.

Nesta quinta-feira, o coordenador humanitário da ONU, Martin Griffiths, liberou na 12 milhões de dólares (R$ 60,4 milhões na cotação atual) de um fundo de emergência para enfrentar a crise no país.

 

 

Compartilhe este conteúdo: