Português (Brasil)

PGR denuncia Carla Zambelli e hacker por participação em invasão a sistema do CNJ

PGR denuncia Carla Zambelli e hacker por participação em invasão a sistema do CNJ

Deputada e Walter Delgatti foram indiciados pela PF por falsidade ideológica e invasão de dispositivo informático

Compartilhe este conteúdo:

O hacker Walter Delgatti Netto encontrou-se com a deputada Carla Zambelli, aliada de Bolsonaro, em julho de 2022: enredo envolveu reunião com então presidente - Foto: Reprodução/Redes sociais

Por Agência O Globo

A Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou a deputada federal Carla Zambelli (PL-SP) e o hacker Walter Delgatti Neto pela invasão do sistema do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), registrada em 4 de janeiro de 2023, para a inserção de dados falsos.

Em fevereiro, a Polícia Federal concluiu o inquérito e indiciou Zambelli e Delgatti pelos crimes de invasão de dispositivo informático e falsidade ideológica. Com isso, o caso foi encaminhado à PGR, que precisava decidir se apresentaria a denúncia ao Supremo Tribunal Federal (STF) ou se pediria o arquivamento das investigações.

Em janeiro de 2023, Delgatti acessou o sistema do CNJ e inseriu dados falsos, como um mandado de prisão contra o ministro Alexandre de Moraes. Preso no início de agosto, Delgatti confessou a invasão, disse que fez a pedido de Zambelli e que teria recebido R$ 40 mil pelos serviços.

Em agosto de 2023, Zambelli foi alvo de busca e apreensão em seu apartamento funcional e em seu gabinete, no Congresso Nacional. Foram cumpridos ainda mandados contra alguns de seus assessores e um de prisão preventiva contra Delgatti Netto.

Ao prestar depoimento, o hacker disse que Zambelli pediu que ele invadisse as contas de e-mail e o telefone de Moraes. A solicitação teria sido feita durante um encontro na Rodovia dos Bandeirantes, na capital paulista, em setembro de 2022.

Compartilhe este conteúdo: